sábado, janeiro 29, 2005

Norte

Ontem a noite estava deitado com o Lourenco esperando o sono dele chegar (veio logo). Ja era noite feita, chuviscava e alem da janela so o vulto negro do Cerro recortado pelas nuvens baixas. Perguntei o que ele tinha mais gostado de ver. Me disse de imediato: o bloco de gelo. Traduzindo o Perito Moreno. Isso foi ja ha alguns dias. Pensei com meus botoes que a viagem fez isso. Plantou uma serie de imagens fortes na gente, pedacinhos que formam um enorme pano de fundo, a Patagonia. Para mim ficou assim pregada, palpitando misteriosa, deixando a flor da pele o passado, o tempo, a natureza furiosamente linda e inospita. Mais algumas poucas centenas de quilometros e a Patagonia fica para tras, sabendo que vai nos arrastar de volta algum dia..........................

Escrevo de El Bolson, no distrito dos lagos argentinos. Mais uma hora e seguimos no sentido norte, buscando o rumo de Sao Paulo pelo caminho mais curto. Cortamos Buenos Aires do nosso roteiro... estamos cansados demais para enfrentar uma metropole nesta altura do campeonato. Vamos sair da Argentina pela triplice fronteira para aproveitar a malha rodoviaria daqui que e muito melhor do que no Brasil. Andaremos mais rapido e no Brasil chegaremos pela Castelo Branco. Amanha provavelmente cruzaremos a Ruta 20, conhecida como A Conquista del Desierto................ uma reta de 320 quilometros sem nada cruzando o coracao da Argentina. De 4 em 4 km um espaco para descanço com agua e sombra para enfrentar o calor. Nossos casacos ja estao guardados no carro que bravamente ja dobrou os 151000 km rodados. Ate aqui seu unico problema foi baixar duas libras em um pneu e me pregar umas peças com a programacao do controle remoto.

Um comentário:

Diniz & Isabel disse...

Meus queridos Rogério, Adriana, Sofia e Lourenço
Adorei os últimos relatos e sei que estão maravilhados e também muito cansados. Não e´para menos pois, depois de 15000 km somente super homem & Cia. Venham com cuidado redobrado pois temos notícias pela Tv do estado lastimável das nossas estradas, principalmente no Paraná.
A Isabel está em BH e eu continuo em MOC. A Adriana manda abraços e beijos.
Venham com Deus. Saudades
Diniz